A Educação de Jovens e Adultos no Brasil e a Influência de Paulo Freire

Bem vindo ao Blog de discussão sobre Paulo Freire e a EJA no Brasil.

Esse blog foi criado no contexto das aulas de Temas Fundamentais das Ciências da Educação do curso de Pedagogia Noturno na UFMG no primeiro semestre de 2010, com o objetivo de compreendermos a influência desse educador nas práticas educacionais de EJA no Brasil e no uso de tecnologias como recurso didático na EJA, particularmente na região metropolitana de Belo Horizonte.

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Entrevista professora da EJA

1- A professora: H

Com formação em Magistério, está aproximadamente 10 anos na EJA.
A professora desconhece qualquer autor em que possa lançar mão de suas idéias para auxiliar seu trabalho. Ao ser questionada a respeito de Paulo Freire relatou que ele não apresenta “idéias” para a EJA (relato antes da gravação).
Mas, no decorrer da entrevista percebe-se que a forma pela qual conduz seu trabalho, em muito tem a ver com Freire. Segundo seu relato, ela costuma trabalhar com palavras utilizadas pelas alunas; inclusive das palavras de uma determinada aluna que é a “contadora de história” da sala. Entende que suas “meninas” não tiveram oportunidades em tempo ideal e que agora são parceiras nessa caminhada. Disse que há uma troca de aprendizado, “todos os dias eu chego em casa e fico pensando no quanto eu aprendo com as minhas meninas!”
Ao contrário da educação bancária, sua sala de aula apresenta um clima harmônico, com bastante diálogo e dinâmica.
Ela acompanha o ritmo das senhoras que têm idades a partir de 60 anos. Algumas estão aprendendo a escrever o próprio nome, ainda.


(Publicado por Márcia Pascoal e Maria Aparecida Moura – Graduandas de Pedagogia UFMG)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário